23/04/2009

PETER E OS PULMÕES


Se eu escrever uma palavra que se chama saudade e de repente ela se tornar verdade? Existe uma espécie de garras que me arrancam os pulmões. Não respiro. Não se pode respirar. arrancaste-me os pulmões, foi? Para que os queres? Para onde os levaste? Tapo a boca com a mão toda aberta. Empurro-a contra a cara. Não se pode. Não se pode viver assim. Não se pode viver sem pulmões. Por favor, devolve-me os meus pulmões. Deixa-me respirar. Apaga-me essa palavra da cabeça. É a minha mão que a escreve e eu pensei que não sabia escrever. Que palavra posso eu escrever, para que se torne realidade e para que eu possa novamente respirar?...

8 comentários:

Solita disse...

Ah!! Pensei que tinha desistido do blog já estava a sentir falta dos textos.


Bjokas

pedropina disse...

Solita, do blog nao desisti...prometo..., mas esta fase não das melhores...,
beijinhus

Solita disse...

Pedro se a vida corre-se sempre bem nao tinha piada.

hehe!!

estou a brincar, espero k essa fase passe rápido.




Beijos

O Homem Vulnerável disse...

Sabes que "saudade" é uma palavra tipicamente portuguese? Não existe tradução à letra para essa palavra, e o típico "i miss you" significa "sinto a tua falta".

Portanto, "saudade" é como o fado... ;)

As melhoras para ti nesta fase menos boa. **

pedropina disse...

Solita, tens razao! sao precisos momentos menos bons para valorizarmos os muito bons! obrgd
beijinhu

pedropina disse...

O Homem Vulnerável:

sim, eu sabia!
é issu k nos faz um povo tao..melancólico e nostalgico?
(hum...só as vezes?)
obrgd!

grd abraço

Alien David Sousa disse...

P.P
A saudade, como tudo na vida vai desvanecendo. E tu vais poder respirar melhor, tens de ter paciência.
beijinhos

pedropina disse...

Alien:

obrigado, vou procurar o oxigénio!

beijinhus