02/05/2009

PETER E O MAPA INFINITO




Existe uma linha. Com a ponta do dedo, percorro-a. Parece não ter fim. Olho o meu dedo indicador. Arrasto umas impressões digitais pretas. Cheiram a tinta. Continuo à procura. Tropeço em fotografias, em memórias sem cor esquecidas pelos cortes de cabelo. Não encontro. O mapa parece não ter fim. Não ter fim, ou não ter início. Não sei. Não sei decifrar. Deviam colocar candeeiros nos mapas, talvez assim eu conseguisse ver o meu caminho. Não encontro. Pego num lápis. Risco no mapa os caminhos, os becos sem saída, as ruas incortornáveis. Não encontro. A linha parece emagrecer. A ponta do lápis ocupa toda a linha. Uma linha infinita. Onde fica o meu nome? Não me encontro.

9 comentários:

Paulo - Intemporal disse...

F
e
l
i
z

d_____i_____a

d
a

M__________Ã__________E

hoje e sempre.

íssimo.

pedropina disse...

Paulo-Intemporal:
graças a elas cá estamos!
ainda k perdidos em mapas!
:)))))

Solita disse...

Heheheheh!!!


Pedro um candeiro ou umas setinhas a indicar o caminho.lol!!!!



Jinhos

Denise disse...

O teu nome está lá, mesmo que por agora não o encontres e aquilo que te digo pareça demasiado óbvio. Talvez tenhas sido tu a esconde-lo, talvez a necessidade de o encontrar não seja assim tanta...
Não sei,talvez ninguém o saiba, no entanto quando o encontrares, nesse mapa infinito avisa-me. De certo quererei saber.

Tenho saudades tuas!*

O Cantinho dos Sonhos disse...

Eu tbem tenho andado perdida...Todos nós de vez em quando precisamos de um mapa.

Beijinhos.

pedropina disse...

Solita:
vou tentar acender uma luz...

pedropina disse...

Denise:

eu sei k está, mas nao o vejo...
e nao sei para onde me dirigir...

pedropina disse...

O Cantinho dos Sonhos:

e onde e como vamos nós encontrar o nosso caminho?
beijinhus

korrosiva disse...

Não há mapa que nos salve Pedrocas, é respirar fundo e ir em frente ;)

beijinhoooooooooo GRANDE!