28/07/2009

PETER DE OLHOS EMBACIADOS



Como é que eu não te vi? Como é que eu não me vi? Desculpa. Tinha um dedo enfiado no olho? Um dedo enfiado até ao cérebro? Tinha os olhos embaciados? Desculpa. Eu olhava para ti, mas não te via. Olhava para mim e não me via. Olhava para mim? Desculpa. Mas esqueci-me de me ver. E ao deixar de me ver a mim, deixei de te ver a ti. Desculpa. Hoje a névoa abandonbou-me os olhos e vejo-te claramente. Hoje a névoa deixa-me ver-me a mim como de facto sou. Olho para dentro de mim e vejo-me. Vejo essa essência de quem sou e vejo-te a ti. Como é que eu não te vi? Tinha os olhos embaciados. Não consegui entrar dentro de mim e ver-me. Desculpa. Hoje vejo os meus olhos, o meu cérebro, o meu coração. Hoje vejo os teus olhos, o teu cérebro, o teu coração. Ainda me queres ver?

4 comentários:

Paulo disse...

[...]

claro que quero

[...]

:)))

. abraço-TE .
. uma boa semana .

PEDRO PINA disse...

Paulo: :))))))))))))))))

prAia em Mim disse...

ver com o coração é fonte de sabedoria, reencontro, luz e paz.

decifra as suas batidas...segue-as...verás q têm razão...falar-te-
ão pela intuição...e renascerás, tal como fénix...

embaciar faz parte da teia ilusórisa do samsara, mas o nirvana é o q queremos ;)

PEDRO PINA disse...

prAia em Mim : sei k essa fase já passou e k a pouko e pouko começo a ver-me a mim, para poder dp ver os outros! obrgd

ps: o teu comentario é mt Budista...hum , temos de falar sobre isso