01/04/2010

PETER E RAPUNZEL ENLOUQUECIDA


Num ritmo lento, num gesto minimal e repetitivo, faz e desfaz as suas tranças enquanto ainda sente nos músculas das pernas a dureza de cada degrau subido e aprisionado. Deixou de contar o tempo, em calendários anuais empilhados ao lado da janela. Desfaz e refaz as tranças enquanto vislumbra uma espécie de cavalo branco conduzido por alguém que se parece contigo. O nó da trança engole o nó do passado, engolido no nó da garganta, em noites engolidas sem dormir e sem contar o tempo. Num ritmo lento, num gesto minimal e repetitivo, refaz e desfaz as tranças enlouquecidas que cresceram quilómetros de ponteiros de espera. Não era um cavalo alucinado numa ilusão do tempo. Era somente um sonho empilhado e esquecido nesses calendários poéticos. Mais um calendário. Mais um sonho. Mais um cavalo. Mais uma trança.

9 comentários:

Brancamar disse...

Pedro,

A sua produção por aqui anda muito activa. Tenho passado pelos posts, mas já tarde como hoje e como a esta hora já não tenho concentração para a profundidade que sei que vou encontrar, volto amanhã que é feriado, para ler estes últimos.

Beijinho de boa noite.
Branca

PEDRO PINA disse...

Brancamar, então hoje feriado espero a sua visita!
um beijinhu

Brancamar disse...

Pedro,

Desculpe, foi no passar do dia um para dois que escrevi, mas não influenciada pelo dia das mentiras.
Vou deixar de fazer promessas, a idade não perdoa e há tanta coisa misturada nesta cabeça, que o feriado passou e entramos agora mesmo no dia 4. Aproveito para lhe desejar uma Boa Páscoa.
Eu bem dizia que este post me ia dar muito trabalho, :)
Tantos sonhos que há por aí empilhados e esquecidos nos calendários poéticos de toda a gente...à espera de um dia serem realidade! Muito filosófico e bonito, como sempre.
Beijos
Branca

Flávia Batista disse...

Blog legal, muito mesmo!!

Vou passar a frequentar aqui...

=D

bjs

PEDRO PINA disse...

Branca, mas não vamos eskecer os sonhos! :)))

PEDRO PINA disse...

Flávia: obrigado! :)

Cristina disse...

Sonhos....numa noite onde a suavidade me escapa dos sentidos e eu que me adio permanentemente para me distrair temo o dia de tantas coisas adiar que não me sobre tempo de adiar o tempo de sorrir...

Excelente blog...

caracois disse...

brutal!
C.L

PEDRO PINA disse...

caracois: obrgd :)))