05/08/2009

PETER E AS MUDANÇAS DE CASA

Não me lembro dessa primeira casa onde aprendi a caminhar. A segunda casa na Alemanha, tinha uma cama na cozinha, onde brinco. A casa muda-se para Viseu, um apartamento no último andar. No último andar, era o sótão dessa outra moradia, onde passo tanto tempo sozinho. Sozinho, mudo-me aos 14 anos. Durmo nesse quarto, na casa da minha tia em Coimbra. Coimbra, um novo apartamento. Faço a mochila. Procuro outra cidade. Procuro-me a mim. São folhas de jornal marcadas em circulos pretos. Abro a porta desse primeiro quarto no Porto. Uma casa velha e assustadora. Procuro outra casa. Procuro-me. É o mapa da cidade no bolso. Abro a porta do segundo quarto, agora num quinto andar. Procuro uma outra casa. Procuro a minha paz, o meu conforto. Faço as malas. Vivo num estúdio T-0. São telefonemas e jornais à procura da minha estabilidade. Da varanda do 8º andar, vejo todo o Porto. Troco a vista pelo primeiro andar do mesmo prédio. Procuro outra cidade. São anúncios preenchidos em páginas de Internet. Os caixotes de papelão são levados para a Praça de Espanha em Lisboa. Caixotes que trouxe para o Marquês de Pombal, neste pequeno T-1, onde escrevo. Procuro-me. Vivi em 13 casas e ainda procuro o lar onde pertenço.

10 comentários:

Marilena' disse...

Pertencemos ao lugar que o nosso coraçao quer pertencer. Eu pertenço á suiça.

PEDRO PINA disse...

Marilena' : eu axo k pertenço a uma ilha k ainda nao conheço...!

Hyndra disse...

Ou nao pertences a lado nenhum, ou andas à procura da coisa errada.

PEDRO PINA disse...

Hyndra : se calhar andei mxm a procura da coisa errada!

Márcio Kindermann disse...

Bem vindo a Vida.
gostei de estar aqui, voltarei, tem muito para fuçar por aqui.
abç

Belita disse...

Que maravilha Pedro, achei fantástico este texto e gostei de saber que já passaste pelo Porto!

Tens de ver o lado positivo, conheceste novos locais, novas gentes, novos hábitos!

O sentires-te bem é uma outra coisa, por acaso acho que não é só a casa que traz o bem estar, a companhia também é importante.

Maria disse...

Olá Pedro... Não será o facto de vivermos por si só já uma constante procura...O ser humano é um animal insatisfeito.
Procurar é bom, sinal que não estamos acomodados, que deve ser um dos estágios de vida mais chatos!!

Beijo

Maria

Brancamar disse...

"Vivi em 13 casas e ainda procuro o lar onde pertenço."

O lar onde pertences, Pedro, está dentro de ti...é lá que o vais encontrar.

Mil beijinhos.
Branca

PEDRO PINA disse...

Maria : sim sou um constante insatisfeito por natureza!

PEDRO PINA disse...

Brancamar: sei k tens toda a razao...mmas procuro-me e nao me encontro!