18/08/2009

PETER E A PRATELEIRA


Pensavas que ia ficar ali sem se mexer? Bastava passar o pano uma vez por semana e se mantinha no mesmo lugar? Olhaste essa prateleira e acreditavas que seria para sempre assim? Quem te deu essas garantias? Quem te colou o calendário à prateleira, acreditando que ganharia ali raizes, deixando de ter vontade própria? Essa prateleira, hoje vazia, foste tu que a esvaziaste. Nao foi ele que se foi embora, foste tu que não o viste a ir-se. Pensavas que era garantido? Que era teu? Que morava na tua prateleira? Nunca nada é de ninguém. Em tempos, não gostaste de dormir tu nessa outra prateleira, porque haveria ele de gostar? Queres deitar-te tu agora na prateleira dele sem te mexeres ou será melhor ambas as prateleiras ficarem garantidamente vazias, sem se mexerem acumulando o pó semanal?

10 comentários:

korrosiva disse...

Pedrocas numa frase tua resumes e responde ao teu post

"Nunca nada é de ninguém"

Engano nosso quando por vezes pensamos o contrário!
beijinhoss

S* disse...

Ninguém deve tomar a aoutra pessoa por garantia... é um atestado de mau estado da relação.

Rapunzel disse...

acho que é O problema...pensar que temos algo como garantido!

Bjos

PEDRO PINA disse...

korrosiva : nós a teoria até a sabemos toda!!!!

PEDRO PINA disse...

S* : pena eu nunca ter tido a capacidade de me aperceber desse estado durante..., so abrimos os olhos...depois!

PEDRO PINA disse...

Rapunzel : sim, o garantido nao existe...tudo está sempre em movimento...

Sofia disse...

Meu querido...

è melhor q esteja vazia do q preenchida com algo q nos magoa...

Beijokinha

PEDRO PINA disse...

Sofia: tens razao....mas apesar de ser minimal, nao gosto de prateleiras vazias!

Rabisco disse...

Um dia deixaram-me a mim sentar numa prateleira...
Deixaram-me e eu assim o permiti.
Talvez tenho sido uma das piores decisões que tomei até hoje.
O tempo passou e o pó começou a acumular-se e, sobre essa prateleira a vista não era lá muito consistente.
Um dia chegou que até eu me esqueci que lá estava, parado no tempo, à espera não sei de quê e não mais em tempo algum lá voltei...
Aliás a própria prateleira deixou de existir e, não mais em tempo algum, alguma das minhas paredes voltaram a ser suporte de prateleiras e afins...
Porque alguém que espera que alguém se sente numa prateleira seria a última pessoa no mundo a suportar tal ideia...
Abaixo as prateleiras...

PEDRO PINA disse...

Rabisco: abaixo as prateleiras! mesmo!