09/02/2010

PETER E A ALMOFADA VERMELHA


Deitas a cabeça baixinho na almofada vermelha. É noite. É sempre noite quando deitas a cabeça baixinho nessa almofada e o olhas em silêncio. É noite. Respiras o seu adormecer na noite quente e escura de um inverno aconchegante. Deitas a cabeça baixinho na almofada e sentes o seu calor. O seu cheiro no teu corpo, na tua cara, na tua almofada. Abraças o silêncio adormecido que te embala num sorriso leve de quem afaga a almofada. Deitas a cabeça baixinho na almofada e adormeces aninhado no seu calor silêncioso de inverno. Os olhos fecham-se levamente, o som do último sopro ouve-se sussurrar ao adormeceres protegido por uma almodafa vazia que sentes sempre preenchida apesar de não o estar.

4 comentários:

Brancamar disse...

Belíssimo...sentir é sinal que estamos vivos e é sempre bom ter uma almofada especial, :))
Um abraço.
Branca

PEDRO PINA disse...

Brancamar : sentir....ainda k uma almofada imaginária...mas sentir!

ST disse...

lindissimo! fiquei apaixonada pela tua escrita

Anónimo disse...

Os olhos fecham-se levemente,sobe uma almofada que se sente,o Amor

Bj